segunda-feira, 6 de julho de 2015

Dia dos Pais-Peça Teatral

PEÇA: NÃO ESPERE A MORTE... PARA DIZER QUE AMA.


Personagens:

José ( Pai ) Julia, Henrique, Camila, Carla, Sheila ( Serão irmãos).


Objetos necessários:
Celular
TV e Vídeo Game
Corda


Cenário:
Casa


Cena 1:
Os filhos estão em casa. Júlia está vidrada na internet. Carla está fazendo exercícios ( físicos ), Camila, estudando, Henrique, jogando vídeo game e Sheila, com seu namorado. Cada um está em um canto da casa, compenetrado nos seus “a fazeres”.
José: ( abre a porta de casa, alegre ) Boa noite pessoal, boa noite...
( os filhos estão tão “ concentrados “, que não reagem ao comprimento do Pai... José então tenta conversar de maneira individual... )
Henrique ( interrompe seu pai, demonstrando certa irritação... ): Pô pai o sr fez eu morrer; olha ai, eu estava quase conseguindo...
José se retira, então, se aproxima de Carla....
Carla ( interrompe seu pai, demonstrando irritação... ): Paaaaiiii, o sr me faz perder a conta... depois agente conversa...
( José, decepcionado, procura por Júlia.... )
Julia ( também o interrompe ): Ah pai, agora eu tô na internet, tô vendo o site aqui, depois agente conversa....
( Assim o pai faz com todos os filhos, porém, nenhum deles lhe dá atenção. Na verdade, o pai queria apenas um abraço, porém...
José: ( desapontado, desabafa “ para todos “ ) filhos, vocês não podem fazer assim, vocês precisam ter pelo menos um tempinho para falar com o Papai. ( apontando para Julia ) Essa menina agora fica o dia inteiro na internet, não quer nem mais ir pra escola. Essa outra aqui ( apontando para Carla ) colocou na cabeça que tá gorda, que precisa emagrecer, agora fica direto fazendo exercícios. A outra não tem mais tempo pra ninguém, só pensa em namorar. Assim não dá gente.
( porém, ninguém lhe “ ouve “, isto é, não lhe dá atenção ).

( José não responde. Demonstrando decepção, decide escrever um bilhete ).
( Começa a escrever... Depois de escrever e colocar o bilhete em local visível, sai de casa sem ser notado pelos filhos. Em seguida, Thiago vai embora. Sheila acompanha o namorado até a porta, depois, encontra o bilhete e o lê em voz alta )
BILHETE:
“ Filhos, mais uma vez , voltei para casa na esperança de vê-los, mas vocês não me deram atenção....
Mais um dia eu precisava muito falar com vocês, mas vocês não tiveram tempo para mim.
Mais uma vez, desejei um abraço, mas vocês não puderam me dar.
Infelizmente, sempre que preciso de vocês, vocês não podem me atender...
É engraçado, quando vocês eram bebês, mesmo que cansado do serviço, eu dava atenção....
Mesmo com toda correria, eu sempre arrumava um tempinho para cada um de vocês...
Todas as vezes que vocês choravam, mesmo que fosse de madrugada, lá estava eu para socorrer; sempre que precisavam de alguma coisa, eu trabalhava até conseguir, porém, agora....vocês nunca tem tempo para mim.
Será que realmente sou importante para vocês ? Vocês realmente se importam comigo ?
ass: José Machado da Cunha “
Sheila ( para os irmãos ): gente, gente, vocês viram, o papai tá chateado.... ( ninguém reage ) Pessoal, eu tô falando sério, ele tá muito triste....


( Sheila tenta falar com os demais, porém eles não “ dão ouvidos “ )
( José abre a porta e entra, Sheila fica feliz em revê-lo. Ele abre os braços para abraça-la, ela também repete o gesto, porém, Thiago, o namorado, chega logo atrás. Sheila corre para abraçar o namorado, José acha que ela irá abraça-lo, no entanto, ela passa por ele e abraça Thiago, logo atrás. José fica, chateado, de braças abertos )
( José se decepciona e sai... )
Já sei, tive uma idéia... vamos ver se eles realmente se importam comigo !
( José se coloca em outro lugar ( onde o público possa ouvi-lo, porém, não necessariamente vê-lo. ex: cabine de som, com auxílio de um microfone ). José disfarça a voz, passando-se por funcionário de um hospital, liga em sua casa, fala com Sheila ( pode ser no celular ) e diz que José Machado da Cunha, ( na verdade, ele mesmo ) sofrera um acidente e veio a falecer... )

( Sheila desliga o telefone e entra em desespero. Thiago tenta acalma-la, porém ela não lhe dá atenção e ele vai embora. Os irmãos, a principio, não acreditam, depois, vão ficando tensos até, também, se desesperarem...)


( Todos começam a se justificar, até que a confusão se generaliza. Ninguém entende mais nada , tamanho falatório e lamentação, um culpando o outro...


Cada um dos filhos podem citar um versículo, depois todos saem, terminando assim a apresentação.
Tiago ( namorado da Sheila, portanto, na mesma faixa etária dela )
Livros e Cadernos
O Pai, José Machado da Cunha, retorna do trabalho, feliz por chegar em casa, porém, desejoso de conversar com os filhos ou, pelo menos, com um deles....
José ( se aproxima de Henrique ): Oi filho, eu queria tanto...
José: minha filha, você viu...
José: filha, o papai precisa...

Carla: Pai, a conta do meu tênis chegou.... ( porém, continua fazendo exercícios... )
Henrique: Olha ai, esse vídeo game falhou de novo.... Pô pai, tá na hora de compra um vídeo game novo, esse aqui tá muito ruim... ( continua jogando... )

Julia: eu também quero um celular novo...

Sheila: Pai, tô precisando de uma graninha pra ir no cinema....
José ( desabafa ): Oh meu Deus, onde foi que eu errei ? Eu dei de tudo pra essas crianças....
Carla: Pô meu, fica quieta ai, eu tô estudando, você não tá vendo
Sheila: mas eu tô falando, o papai tá chateado com a gente....
Carla: tá, tá tá bom, então vai lá atrás dele...
Sheila: o papai tá chateado...
Henrique ( irritado... ): Oh, você vai fazer eu errar meu....
Sheila ( lamentando-se ): meu Deus, como fui insensível, o papai tá precisando de ajuda... Me perdoe Senhor, vou conversar com ele.
Sheila ( justificando ) Pai, depois eu quero conversar com o senhor....
José ( falando para a igreja, fora do palco / altar, a frente do público ): Será que minha vida não vale nada pra eles ? Meu Deus, os filhos crescem e ficam tão diferentes. Hoje é dia dos pais mas eu não quero presente, eu preciso apenas de um abraço...
Sheila ( ao telefone com o “ funcionário do hospital “. Acaba de receber a noticia do “ falecimento de seu pai “) Não moço, pelo amor de Deus, não fala isso, meu pai não pode ter morrido, eu preciso falar pra ele o quanto eu o amo...
“ Funcionário do hospital “ ( ao telefone ): Sinto muito, o corpo agora segue para o necrotério municipal.
Carla: Não, nãããão, não pode ser. O Papai não sabe o tanto que eu o amo, ele precisa saber, não....
Julia: Pelo amor de Deus Senhor, não leva o meu pai agora não, eu preciso muito dele, eu necessito muito falar com ele Senhor....
Sheila: eu vou orar um monte ( se ajoelha ), vou orar mais que todo mundo pra demonstrar o quanto eu amo o papai...
Camila: e eu então, vou encomendar um montão de coroa de flores, todas escritas “ Eu te amo “.
Júlia: e eu vou chamar o caminhão de bombeiro....
Henrique: Pode parar, agora já é tarde, vocês deveriam fazer isso enquanto o papai estava vivo, agora que ele morreu, ele não pode ver nada disso. ( chorando ). A culpa é de vocês, vocês mataram o papai.
De repente, José aparece na porta. O filhos ficam felizes e espantados. Eles pedem desculpas e fazem “ juras de amor eterno “. Depois de acalmada a situação... )
José ( para a igreja ): Não espere a morte para dizer o quanto você ama seu pai; você pode não ter uma segunda chance...

Julia ( para a igreja ): Honra teu pai e tua mãe, para que te prolonguem os dias sobre a terra...

Mensagem de um pai para seu filho

Um filho queixou-se ao pai sobre sua vida e sobre como as coisas estavam difíceis para ele. Já não sabia o que fazer e queria desistir. Estava cansado de lutar e combater. Parecia que, assim que um problema estava resolvido, outro surgia logo a seguir. 


Então pretendendo que o filho se transformasse em um homem vivido e responsável, ele cozinhou umas cenouras, cozinhou uns ovos e fez um café.
E virando-se para o filho, o pai perguntou:
- Filho, o que você está vendo ali na mesa?

O filho olhou para cima da mesa da cozinha e respondeu:
- Cenouras, ovos e café, disse ele. 


Trouxe-os para mais perto e pediu-lhe para experimentar as cenouras. Notou que as cenouras estavam macias. Pediu-lhe que pegasse num ovo e que o quebrasse. Foi novamente obedecido. Depois de retirar a casca, verificou que o ovo endurecera com a fervura. Finalmente, pediu-lhe que tomasse um pouco de café... Ele sorriu ao sentir o seu aroma delicioso e o maravilhoso sabor. E perguntou humildemente:

- O que isso significa pai?

O pai, então, explicou-lhe que cada um deles havia enfrentado a mesma adversidade, água a ferver, mas que cada um reagira de maneira diferente. A cenoura entrou forte, firme e inflexível. Mas, depois de ter sido submetida à fervura, amolecera e se tornara frágil. Os ovos eram frágeis. A sua casca havia protegido o líquido interior. Mas, depois de terem sido colocados na água fervente, o seu interior tornou-se mais rijo. O pó de café, contudo, era incomparável. Depois que fora colocado na água fervente, havia mudado inclusive a água, além de ficar muito melhor.

- Qual deles é você? -perguntou ao filho.

Quando a adversidade bate à tua porta, como respondes? És uma cenoura, um ovo ou o pó de café?

És como a cenoura que parece forte, mas com a dor da adversidade murcha e se torna frágil, perdendo sua força? És como o ovo, que começa com um coração ou um espírito maleável, mas depois de alguma privação torna-se difícil e duro? A sua casca parece a mesma, mas fica mais amargo e obstinado, com o coração e o espírito inflexível? Ou será que és como o pó de café, alterando a cor e o sabor da água a ferver?

Quanto mais quente estiver a água, mais saboroso se torna o café. Tal como o pó de café, quando as coisas se tornam piores, transforma-as tornando-as algo melhor?


Os pais são pessoas ungidas por Deus para nos amar e educar, honre seu pai... é um mandamento do Senhor.
Mensagem de um pai para seu filho

Jogral para o Dia dos Pais

A MAIS SUBLIME LIÇÃO 
(jogral - 5 crianças)


1ª criança- A glória dos filhos são os pais e os filhos a herança do Senhor.
Todas- Agradecemos a Deus neste dia, pelos pais, pelos filhos, pelo amor.
2ª criança- Guarda o mandamento do teu pai- é o conselho do grande Salomão que acrescenta com sabedoria:
3ª criança- O filho sábio do pai ouve a instrução.
4ª criança- O Senhor disciplina a quem ama como o pai ao filho a quem quer bem.
5ª criança- Corrigindo-os com entendimento, visando a glória de uma vida além.
1ª criança- Como um pai se compadece do seu filho também o nosso Deus assim o faz, se compadece daqueles que O temem.
Todos- Dando-nos bênçãos de perdão e paz!
2ª criança- O pai do justo se regozijará; seu coração se enche de alegria.
3ª criança- Pois teme o seu filho ao Senhor, que é o princípio da sabedoria.
4ª criança- Vós filhos, obedecei a vossos pais no Senhor.
5ª criança-Não provoqueis, ó pais, os vossos filhos, criai-os nos caminhos do Senhor.
Todos- E crescendo não se desviarão pra honra e glória do Seu Criador.

(Noemi Campos – adap. Amélia L. Oliveira)


Peça Teatral - Dia dos Pais

Procura-se um Pai

Tipo: peça em 1 ato.
Personagens: Narrador, 2 crianças, vendedor, 6 pais
Narrador: Atenção, Senhoras e Senhores. O que vocês vão assistir agora é uma ficção. Qualquer semelhança terá sido mera coincidência!
Entram as crianças, conversando preocupadamente.

Criança 01: Calma! Nós vamos encontrar. Vamos ver... Onde a gente pode começar a procurar? Ah! Tive uma idéia. Vamos até o shopping.
Criança 02: É mesmo dizem que lá vendem de tudo. Pode ser que venda pai também!
As crianças saem de cena. Quando o narrador começar a falar elas entram novamente em cena.

Narrador: As crianças correm para o shopping. Andam de um lado para o outro, olhando em todas as lojas, mas não encontram nada. Quando estão quase desistindo, uma das crianças vê uma placa grande e bonita. Que surpresa para eles! A placa dizia... "Temos todos os tipos de pais".
As duas crianças se aproximam para ler a placa, quando chega o vendedor.

Vendedor Pois não? Posso ajudar vocês?
Criança 01: Acho que sim.
Vendedor: O que vocês estão procurando?
Criança 02: Nós estamos querendo um pai.
Criança 01: E o cartaz diz que aqui tem todo tipo de pai.
Criança 02: É isso mesmo, "a gente" quer um pai para cuidar de nós! Você tem algum aí?
Vendedor: Um, não.Vários. Vocês vieram ao lugar certo. Aqui nós temos todos tipos de pais. Eu vou chamar um por um, aí vocês escolhem!

Entra o Pai Esportista - vestido com roupa de ginástica, saltitando e fazendo polichinelos.
Vendedor: Fiquem a vontade.....
As crianças espantadas se aproximam para conversar
Criança 01: O senhor quer ser o nosso pai?
Pai esportista (Toma as mãos das crianças e move para cima e para baixo com ritmo e começa a fazer ginástica).: Venham pra cá e façam como eu. Vocês estão fora de forma.
Criança 01: O senhor ainda não respondeu quer ser o nosso pai?
Pai esportista: Claro! Vocês estão mesmo precisando de ginástica. Vocês treinarão duro para ter um corpo de atleta como o meu e comerão somente o necessário. Nada de comer doces, salgadinhos, refrigerantes...
Criança 02: Mas fora tudo isso aí que o senhor falou, o que mais o senhor pode nos dar?
Pai esportista: Bem deixe-me pensar... Mais nada! Vocês serão atletas... querem mais?
Pai sai saltitando
Criança 01: Ih, esse pai esportista não daria certo nunca! Imagina só até sermos atletas estaríamos um palito!
Criança 02O jeito é continuar procurando... Não podemos desanimar!

Entra o pai desleixado, mal vestido, barba por fazer, andar desligado, olhando pros lados.
Criança 02: O senhor quer ser nosso pai?
Pai desleixado: Vou pensar... Pode ser! Vai ser manero; mais já vou falar logo vocês podem comer besteiras, não precisam escovar os dentes, não precisam ir pra escola e muito menos para a igreja.
Criança 01: Esse aí tem um parafuso a menos.
Criança 02: É... Está realmente difícil!
O pai desleixado fica num canto.

Entra Papai Noel, carregando uma sacola pesada, rindo "ho,ho,ho" e badalando um sino.
Criança 01: Este aqui parece ser legal!
Criança 02: E o senhor quer ser o nosso pai?
Pai Noel: Quero sim, nós vamos nos divertir muito. Tenho sempre muitos presentes para vocês, mas eu só apareço no fim do ano e vocês terão que ficar sozinhos.
As crianças balançam a cabeça e fazem cara de desânimo. Papai Noel pega o pai desleixado pelo braço e os dois saem de cena.

Entra o Pai espião, roupa preta, olhando por cima do ombro para ver se não está sendo seguido
Criança 01: Você quer ser o nosso pai?
Criança 02: Só se o senhor quiser! (olhando em volta para ver o que o pai está procurando).
Pai espião: Vocês que sabem... Minha vida é uma grande aventura, vocês não terão um dia como o outro, terão que estar sempre fugindo sem descanso. Vocês escolhem.
Criança 01: Acho melhor não... Mas muito obrigado!

Sai o pai espião, e entra o pai desconfiado - braços cruzados e não olha ninguém no olho.
Criança 02: E o senhor quer ser o nosso pai?
Pai desconfiado: Sei não, vocês estão me parecendo encrenca! Acho melhor vocês procurarem outro pai. (e sai de cena)
As crianças sentam no chão de cabeça baixa, desanimadas
Criança 01: Nós não vamos encontrar...

Entra o vendedor
Vendedor: O que foi com vocês? Estão tristes?
Criança 02: É, você acha que está fácil? Mas, não está não!
Vendedor: Ainda não acabou; só tenho mais um. Quem sabe?
O vendedor vai chamar o último pai e as crianças olham ficam olhando.

Entra o pai cristão, roupas normais, com sorriso franco, se abaixa para falar com as crianças e as olha no olho.
Criança 01 Será? E o senhor, quer ser o nosso pai?
Pai Cristão: Claro que sim! Sempre cabe mais um no coração de um pai cristão. O que eu aprendi de Deus, ensinarei a vocês: que a salvação está em Cristo Jesus e a comunhão com os irmãos! Teremos momentos difíceis e também momentos bons; mas, seremos felizes.
O pai dá as mãos às crianças e se coloca em postura de oração:
Direi como o rei Salomão:"Dize à sabedoria: tu és a minha irmã e à prudência chama tua parenta". Rogo a Deus que me faça sábio e prudente para poder dar sólida educação cristã a meus filhos. Amém.

De mãos dadas saem as crianças - sorrindo satisfeitas - com o pai


domingo, 5 de julho de 2015

Dia dos Pais - Peça Teatral

A formatura


Entra um rapaz e seu amigo.
Rodrigo
- Cara, você viu que carrão! É o conversível mais lindo que eu já vi!
É tudo que eu mais quero, com certeza meu pai não vai me negar, afinal semana que vem é minha formatura, ele vai me dá algum presente.
Flávio
- É, do jeito que seu pai é rico, com certeza ele vai lhe dar.
Rodrigo
- Vou combinar tudo com Maria a governanta lá de casa. Com certeza ele vai perguntar a ela o que eu quero.
Flávio
- É isso aí, boa sorte Rodrigo. Agora tenho que ir, tchau.

Na manhã da formatura seu pai o chama em seu escritório particular.
Pai
- Filho, eu estou muito orgulhoso de você.
 Você sabe o quanto eu te amo, aqui está o seu presente.

Ele pega o embrulho um tanto desapontado e o abre.
Rodrigo
- Uma bíblia, com todo o seu dinheiro, você me da uma BÍBLIA?”
Muito obrigado, pode ficar com seu presente.

E sai bruscamente de casa.
Passaram-se muitos anos e o jovem transformou-se num bem sucedido homem de negócios. Tinha bens, uma bonita casa e uma família maravilhosa. Lembrou-se do pai e concluiu que ele estava muito velho e que talvez devesse ir vê-lo. Não tinha estado com ele desde o dia da formatura. Enquanto se organizava para viajar, sua esposa recebe um telegrama.

Mulher de Rodrigo
- Não pode ser! Meu Deus! Querido, eu sinto muito mas, seu pai faleceu.

Rodrigo
- O que? Meu pai? não pode ser, logo agora que decidi ir vê-lo?

 Mulher
- O telegrama diz que ele deixou toda a sua herança para você e que você deve ir imediatamente pra lá.

Quando ele chegou na casa de seu pai, uma tristeza intensa e um grande arrependimento tomaram conta de seu coração. Ele começou a olhar todos aqueles importantes papéis e viu a Bíblia, ainda nova, da mesma maneira que ele havia deixado muitos anos atrás.
Emocionado, com lágrimas nos olhos, abriu a Bíblia e começou a virar as páginas. Seu pai havia cuidadosamente sublinhado um versículo: Mateus 7:11
“Se vós, pois sendo maus, sabeis dar boas dádivas a vossos filhos, quanto mais vosso pai, que estais no céu, dará bens aos que lhe pedirem”
Rodrigo
- Não, não pode ser, como fui tolo. Carregarei para sempre este sentimento de culpa.


Na chave tinha uma etiqueta com o nome da concessionária, a mesma onde havia o tão desejado carro. Na etiqueta havia a data da formatura e as palavras “PAGO A VISTA”.Quantas vezes perdemos as bênçãos de DEUS, só porque elas não estão na embalagem que desejamos?”